A principal revista eletrônica de Arquitetura Paisagística do Brasil !

Sustentabilidade na Casa Cor MT


Jardim-da-Contemplacao-Walkiria-e-Valderez

O jardim da contemplação foi criado pelas paisagistas Walquria e Valderez Scedrzik

Em mais de 2,5 mil metros quadrados de área construída, em uma área preparada para o evento de 4,5 mil metros quadrados, elegância e sustentabilidade dividem o mesmo espaço, demonstrando que é possível unir sofisticação e elementos ecologicamente corretos. Até o dia 27 de outubro, os visitantes podem conferir essa e outras tendências na maior mostra de decoração, arquitetura, design e paisagismo das Américas, regida pelo tema “Sua casa, sua vida, mais sustentável e feliz!”.

Em linhas gerais, a sustentabilidade está presente nos ambientes pelo uso de madeiras de demolição ou certificadas; adesão ao conceito de reaproveitamento da água do chuveiro para descarga; energia solar para iluminação e aquecimento; projeto luminotécnico feito em LED, que é mais econômico; aplicação de chapas de granito fossilizado em paredes; cercas que servem para armazenamento de materiais que se decompõem; tijolos de demolição; jardins verticais; reutilização de resíduos de tintas que sobram de obras; pisos drenantes; sistema inteligente de irrigação de jardins; dentre outros.

Projeto Mais Sustentável - Não por acaso, a sustentabilidade foi, inclusive, um dos aspectos destacados pelos jurados que avaliaram os ambientes e escolheram os vencedores da premiação promovida pela Casa Cor MT. “Gostei muito das soluções apresentadas pelos profissionais, sobretudo nos ambientes externos. Neste ano, eles incorporaram mesmo a questão da sustentabilidade no sentido de valorizar os artigos”, salientou a historiadora e crítica de arte, Aline Figueiredo, membro do júri.

Dentre as sete categorias da premiação, destaque para “Projeto mais sustentável”. O ambiente vencedor foi o Jardim de Contemplação “Dona Teresa”, de autoria das paisagistas Walkiria e Valderez Scedrzik. Elas apostaram em cercas que servem para armazenamento de materiais que se decompõem, como as folhas secas. Além de garantir um visual bonito ao ambiente, ajuda a evitar as queimadas urbanas. Outra opção sustentável foi o piso drenante, que absorve e escoa a água para o solo. Gazebos e bancos de madeira fruto de reflorestamento também compõem o jardim, assim como folhas artificiais feitas de garrafas PET.


Publicidade

Revista Paisagismo em Fogo © 2020. Todos direitos reservados. Por Go Up Publicidade